Decisão antecipada está cheirando uma rasteira

A senadora Daniella Ribeiro (PSD) tem o direito legítimo de concorrer à reeleição em 2026, cuja manifestação dela ontem ocupou espaços generosos na mídia paraibana. Porém, faltou combinar com o PSB. O presidente da legenda socialista em João Pessoa, Tibério Limeira, achou o movimento “compreensível”, mas com a ressalva de que o candidato do grupo ao Senado é o governador João Azevêdo.

O movimento de “Dani” já deixa claro que com o afastamento de João do governo para concorrer a uma das duas vagas para o Senado, seu filho e vice Lucas Ribeiro (PP) é quem assume o posto número 1 do governo, passando a morar na Granja Santana, residência oficial do governador. E aí não dá para arriscar um prognóstico do que pode acontecer com JA.

Por isso, é preciso analisar com muito cuidado esse cenário. A senadora, pela legislação em vigor, caso o filho assuma o governo, só poderá concorrer ao Senado, pois é o mandato que ela ocupa atualmente. Ou seja, a declaração dela acendeu uma luz amarela no principal gabinete das novas e futuras instalações do Palácio da Redenção.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.