Proposta de Cartaxo ensina governo a combater violência

O prefeito Luciano Cartaxo (PSD) participou no começo da noite passada de entrevista à Rádio 95.7, de Sumé. Ele voltou a fazer criticas a criação da GMT (Guarda Militar Temporária) pelo Governo do Estado, defendendo que ao invés dessa proposta “por que não se convoca os concursados de 2014? Seria mais coerente sob o ponto de vista da transparência”, questionou.

Segundo Cartaxo, “o atual governo prometeu resolver o problema da violência em seis meses e agora, depois de seis anos, vem com medida paliativa e que não passa de uma gambiarra”. Voltou a defender a realização de concurso público para as policiais Militar e Civil para reforçar as ações de segurança na Paraíba.

Na visita que fez ao Cariri paraibano, ele estava acompanhado do vice-prefeito Manoel Junior (PMDB) e do superintendente da Semob, Carlos Batinga (ex-prefeito de Monteiro). Cartaxo compareceu a região para um debate sobre desenvolvimento da Paraíba com lideranças na região de Sumé e discutir experiências administrativas com a prefeita Ana Lorena, de Monteiro.

Com uma gestão em todos os setores da administração pública bastante elogiada pelos órgãos de fiscalização, o prefeito de João Pessoa falou, ainda, sobre diversos assuntos e três áreas acabaram chamando a atenção dos entrevistadores e da população, em geral: Saúde, Habitação e Creche.

E lembrou a gestão premiada, tendo ocorrido recentemente através do reconhecimento do Conselho Nacional de Administração, que lhe valeu um prêmio e outro prêmio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) pelo modelo de gestão implantado na Capital do Estado.

“O modelo de gestão de resultados”, observou Luciano ao ser instado a falar sobre esse assunto, “tem permitido à Prefeitura de João Pessoa pagar servidores em dia, melhorar todos os serviços e, ainda, praticamente entregar uma obra por semana”.