Na pressa, Governo provoca MPF e a Polícia Federal

O Governo do Estado sinalizou para o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) uma investigação no “listão” dos codificados, relação veiculada por alguns órgãos de imprensa através do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Se isso ocorrer, pode ser descoberto desvios que beneficiários da “bolsamalfeito” reclamam.

Chega-se a essa conclusão após uma nota assinada pela secretária estadual de Saúde, Cláudia Veras, que vê “inconsistência” e garante o “listão” não ser correto. Joga a “batata quente” nas mãos do Banco do Brasil, instituição que faz o pagamento dos servidores que recebem salários por via de um só documento: CPF.

Por que o Ministério Público Federal e a Polícia Federal no caso? Bem, existem recursos federais em programas da área de saúde e, por isso, os dois órgãos entram em ação. Talvez, o Governo na pressa em desqualificar a denúncia sinalizou neste sentido, quando distribuiu o escrito.

Envolve não apenas instituição como o Banco do Brasil, mas também a Receita Federal. A confusão pode estar apenas começando. Na nota, o Governo do Estado ameaça jornalistas que continuarem com a divulgação dos quase 9 mil nomes constantes no “listão” dos codificados.