Deputado é contra Romero e municipalização da água

Alguns especialistas acham que a municipalização da água já está em pleno vigor, quando advertem que o serviço da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa) não é o mesmo de antigamente. O município de Sousa começou esse processo, e parece que deu certo. Pelo menos, ninguém mais reclamou. Deu-se durante o período da gestão de Salomão Gadelha, morto em acidente de carro.

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB), de Campina Grande, foi tachado de “egoísta” pelo deputado federal suplente André Amaral (PMDB) por defender a municipalização do serviço de água na segunda maior cidade da Paraíba. Amaral, no entanto, cometeu um erro de voltar-se apenas contra Romero. É que outros gestores de cidades paraibanas foram na mesma linha.

Ou talvez, Amaral tenha algo contra Romero. O que as pessoas não aceitam é esse tipo de postura do deputado, quando, por exemplo, os prefeitos de João Pessoa (Luciano Cartaxo) e Anna Lorena (Monteiro) também seguem na mesma linha do colega de Campina Grande.

O peemedebista pode não saber o que está afirmando: “O prefeito (Romero) campinense desconhece a importância econômica da Cagepa para toda a Paraíba”. E mais: “Apesar de aspirar a uma carreira no executivo estadual, se nega a socializar tal recurso como os demais 221 (223) municípios paraibanos”. Pronunciou algo sem nexo.

De resto, o deputado André Amaral ainda segue enrolado com sua filiação partidária, podendo perder o mandato para o suplente.