Tucano provoca e escuta de Cássio o que não queria ouvir

Sem comando na Paraíba, o PSDB sobrevive com a reação de suas lideranças. O senador Cássio Cunha Lima já mostrou as “travas das chuteiras” bem a altura da canela do prefeito Romero Rodrigues, que subiu ao palco e reclamou da “moleza” do partido de não ter lançado ainda um nome próprio para a disputa de 2018.

Romero acha que pode tudo. Cássio pensa o contrário e chamou o feito a ordem. O presidente da legenda Ruy Carneiro, ocupado com a administração de Santa Rita, não está nem aí. O tucanato perdeu a noção do tempo e não é mais o mesmo desde que a retomada do poder tornou-se distante do ninho.

Para o senador, “o tom do prefeito Romero Rodrigues foi um pouco elevado; a carapuça não me cabe de forma nenhuma, até porque não tenho mais idade de ficar levando carão”. A propósito, essa foi a impressão que Romero deixou ao criticar a postura de integrantes do seu partido.

Adiante, Cássio pontuou: “Temos hoje a necessidade de uma conversa no partido para dirimir qualquer dúvida e preservar aquilo que sempre nos uniu, que é o desejo de uma Paraíba melhor”. Sim, é o discurso de quem está na contramão do que prega o prefeito do segundo maior colégio do Estado.

Comparando, Romero está hoje para o PSDB como o seu antecessor Veneziano está para o PMDB, sem rumo e não sabem o que querem numa política desacreditada pela população.