Enfim, Romero reconhece o seu tamanho no ninho

Menos de 24 horas depois de peitar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), padrinho de suas campanhas, as penúltimas para o Executivo de Campina Grande, o prefeito Romero Rodrigues deu meia volta. CCL respondeu à altura as insinuações do tucano ousado: “Não tenho idade para receber carão”.

Claro, Romero dessa vez utilizou um linguajar a sua altura, nem tanto quando atingiu ao principal líder do tucanato paraibano: “Tenho pelo senador Cássio uma amizade pessoal e particular, carinho, respeito e admiração”. Foi uma sinalização de batida de pino mesmo. Romero sabe onde está pisando e, por isso, resolveu baixa a bola.

Quer ser candidato do PSDB à sucessão governamental. Esquece, porém, que está amarrado com o seu vice Enivaldo Ribeiro (PP), mas demonstra o desejo enorme de receber o mesmo respeito de outros lideres do partido. Sua fala não é ouvida. Porém, as circunstâncias de hoje o impede de falar grosso, como desejava.

Pareceu estar a serviço de alguém, quando tenta impor uma candidatura dos tucanos no momento em que não há discussão neste sentido. Demonstra certo ciúmes ao ver o PSDB acompanhar o Luciano Cartaxo (PSD) nos compromissos pelo interior do Estado, mas Romero esquece que precisará de muito chão para ser sondado como um nome do partido.

E desta vez resolveu falar a língua dos tucanos: “Não posso decidir sozinho, vou decidir com todos eles para, posteriormente, debater com os partidos de oposição“.

Faltou-lhe humildade no primeiro momento quando passou um carão em Cássio. Agora, se humilha para dar uma explicação do que andou pronunciando.