Um conselho para Lira: ‘Vai não; deixa como estar!’

Seria importante para o senador Raimundo Lira (PMDB) não alimentar a esperança de assumir cargos no Senado, pois todas as vezes que a mídia ventilou essa possibilidade, acabou não acontecendo. Foi assim com o Ministério do Planejamento, presidência do Senado, liderança da bancada do PMDB e, por último, o comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Culpou as “forças estranhas” de Renan Calheiros (PMDB-AL) pelos quatro fracassos sucessivos. Agora, chegou a vez de noticiar que Lira está cotado para presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Até torcemos para que isto aconteça, pois ninguém merece uma quinta derrota. É demais em considerando que Lira é um senador que não teria muitas chances de renovar o mandato em 2018.

O azar do senador-suplente representante da Paraíba é que ele deverá enfrentar a senadora Simone Tebet (PMDB-MS), que de cara tem a simpatia de mais da metade do partido e, também, de outros senadores da base aliada do Palácio do Planalto. Portanto, o conselho que o blog daria a Lira se fosse perguntado o que achava: “Vai não. Deixar como estar!”