Ausência de Maranhão rouba à cena da desistência de MJR

Deu-se o esperado. Depois de um mistério que durou 20 dias, o deputado federal Manoel Júnior anunciou a desistência da sucessão municipal de João Pessoa nesta sexta-feira (22). Ele, ao mesmo tempo, declarou apoio à reeleição do prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Registrou, na ocasião, uma divisão. Faltou unidade no ato por causa da ausência do senador José Maranhão.

Sem ser perguntado, ele revelou que a ausência de Maranhão aconteceu a pedido. Preferiu fazer o anuncio na presença dos integrantes da Executiva municipal de João Pessoa, que o próprio Manoel Júnior preside. Porém, JM não ir ecoa com a falta de unidade. Logo o senador-presidente estadual do PMDB que esteve presente em todos os eventos da pré-candidatura peemedebista.

Garantiu que a decisão de abandonar a disputa sucessória do principal colégio eleitoral do Estado “está em consonância com o senador José Maranhão”. Sobre a indicação do nome que vai indicar para ocupar o espaço de vice na chapa à reeleição do prefeito, ele argumentou que esse processo será definido na próxima semana.

Portanto, termina-se uma novela e logo e inicia-se o primeiro capítulo de outra dramaturgia, que vem a ser a escolha do nome do vice. Manoel Júnior alegou dificuldades financeiras para colocar a campanha nas ruas. Resta saber se a Executiva estadual vai endossar o posicionamento da municipal.

Como se sabe, há uma resolução interna em que, a partir da desistência da pré-candidatura, a estadual assume a responsabilidade de decidir os novos rumos. A menor que Manoel Júnior e José Maranhão estejam muito bem afinados.