Petistas vetam alianças com partidos e lideranças ‘golpistas’

O PT decidiu impedir alianças nas eleições municipais com partidos que votaram a favor e ajudaram no impeachment da presidente Dilma Rousseff. Deu-se na noite passada, recomendação que está valendo para todos os municípios paraibanos. Atinge em cheio o acordo celebrado para à sucessão de Campina Grande. Lá, os petistas deflagraram apoio a pré-candidatura de Adriano Galdino (PSB).

A decisão não exclui ninguém. Nem mesmo socialistas como Galdino que acusou “golpe” contra a presidente Dilma. A decisão dos petistas aconteceu por unanimidade e, segundo nota distribuída pela assessoria, “foram desautorizadas alianças com partidos e lideranças golpistas na Paraíba”.

Os petistas fazem parte da base do governista PSB, partido que apoiou o impeachment da presidente Dilma. “Só queremos no PT quem tiver compromisso ideológico e programático”, disse o deputado Anísio Maia, cuja coerência passou muito longe da situação vivida atualmente pelo Partido dos Trabalhadores da Paraíba.

Adiante, Anísio continua: “Não vamos perder nossa identidade para eleger alguns vereadores ou indicar alguns cargos. É preferível que nossas lideranças construam o partido na base. Agora saberemos quem são os verdadeiros petistas. Começamos hoje uma verdadeira depuração”.

O deputado segue jogando para a platéia: “Aqueles que estavam acostumados com as práticas mais maléficas da política tradicional façam autocrítica ou procurem outro partido”.

Para concluir: “A decisão de vetar estas coligações são na verdade uma mudança de orientação política. O PT começou pequeno e não podemos querer ser grandes a qualquer custo. Neste momento o que precisamos é de unidade, qualidade e coerência em nosso partido.  Nossos aliados prioritários são os movimentos sociais e as forças políticas comprometidas com a democracia e os direitos sociais”.