Boa notícia: Supremo ordena afastamento de Cunha

Para a felicidade de todos, Eduardo Cunha Lima (PMDB-RJ) não é mais presidente da Câmara dos Deputados, em Brasília. Foi afastado do cargo por ordem do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). Vale também para o afastamento do mandato parlamentar e decorre de um atendimento da Procuradoria Geral da República (PGR). Cunha é acusado de usar o poder para assegurar a própria impunidade e onze pontos foram apontados como motivo para a saída imediata.

A decisão, em caráter liminar, ocorre horas antes de o STF dá inicio a sessão de julgamento marcada para esta quinta-feira (5), que vai apreciar o afastamento de Cunha da presidência da “Caixa Baixa” do Congresso Nacional. A providência precisa ser adotada com urgência, pois, como se sabe, ele é o primeiro da linha sucessória da Presidência da República e seria beneficiado com o iminente afastamento de Dilma e a ascensão do vice-presidente Michel Temer.

O ministro Zavascki, em seu parecer, reconheceu que Cunha usou o cargo para “constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com objetivo de embaraçar e retardar investigações”. Enfim, na avaliação de muitos “é a melhor notícia do dia”.