MPE pede a cassação da chapa da campanha de 2014

O que tem a ver o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff com o parecer do Ministério Público Eleitoral, que tem atuação no Tribunal Regional Eleitoral, da Paraíba? Absolutamente nada, mas a repercussão é quase idêntica se levada em consideração que aqui pede-se a cassação do governador Ricardo Coutinho (PDT), também vice Lígia Feliciano (PDT), chapa acusada pelo MPE de cometer crimes na campanha de 2014.

Assina o parecer o procurador regional eleitoral João Bernardo da Silva. Conforme o documento, tornado público nesta quarta-feira (20), o governador está incurso nas sanções de inelegibilidade. Ou seja, ele teria praticado a ilegalidade chamada de “abuso de poder político”, sanção que dá perda de mandado. Para que isso ocorra, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral, quando apreciar o caso, precisa referendar o que está escrito no parecer do MPE.

Trata-se da Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE – da PBPrev, que desembarcou no Ministério Público Eleitoral em dezembro, tendo sido promovida pela Coligação “A Vontade do Povo”. Pede a cassação do governador Ricardo Coutinho, por tabela da vice Lígia Feliciano; por supostos abusos na concessão de favores em pleno período eleitoral das eleições de 2014.