Veneziano não demonstra abatimento com decisão do PSB

Enganam-se quem pensa no abatimento do peemedebista Veneziano Vital depois do lançamento da pré-candidatura do socialista Adriano Galdino à sucessão de Campina Grande. Dono de um olfato que lhe rendeu dois mandatos de prefeito do segundo maior colégio eleitoral do Estado, o cabeludo avalia o cenário de ponta-cabeça. Acha que a entrada de Adriano provocou “um tsunami” favorável ao seu projeto político.

Avalia que “em torno da candidatura (pré) do PSB se criou uma frente robusta de combate ao governo do PSDB e ao prefeito Romero Rodrigues”, abrindo uma possibilidade antes considerada impossível: derrotar o tucano. Veneziano acredita que por ser mais conhecido, abre-se uma caminho para a vitória. Basta aprimorar o discurso e ir para galera.

O chamamento do PSB do governador Ricardo Coutinho para Veneziano ser o candidato único da oposição foi de água abaixo. Pelo menos, neste momento. Sabia-se que iria acontecer mais cedo ou mais. Ainda bem que aconteceu cedo. Forçou o peemedebista a correr atrás do prejuízo. Ele próprio esperava que aconteceria e chegou a essa conclusão em setembro passado.

Sim, setembro passado. Quando o socialista Adriano Galdino transferiu seu domicílio eleitoral de Pocinhos para Campina Grande era o sinal que o PSB romperia a aliança que Veneziano fez com a candidatura à reeleição de Ricardo Coutinho no segundo turno da campanha de 2014.

Em todo caso, o cabeludo mantém-se firme na luta e aos amigos na manhã deste sábado (20), enquanto Adriano Galdino era aclamado pré-candidato, disse: “Da mesma forma: candidato”, quando instada a falar se mudaria seus planos políticos com a entrada do aliado socialista no processo eleitoral de Campina Grande.

Há uma questão que precisa ser levado em consideração: a polarização da campanha será entre dois campinenses natos: Romero Rodrigues e Veneziano Vital. Ou alguém tem dúvidas?