Como cego em tiroteio, Tião reitera o que a Paraíba já sabe

O deputado Tião Gomes (PSL) desempenhou nesta sexta (22) o enredo de cego em tiroteio. Foi pro rádio – Arapuan FM – para dizer o que é do conhecimento da Paraíba, pois já tinha sido uma afirmativa do governador Ricardo Coutinho (PSB) em recente entrevista. “Zé Maranhão deixou o Estado quebrado”. É o tipo da declaração que não precisa ser pronunciado publicamente, principalmente porque os “bombeiros” já haviam apagado o incêndio. Gomes fez o contrário, botou gasolina na fogueira.

Ninguém sabe a mando de quem, o deputado-presidente estadual do PSL reforçou a tese de que Maranhão “quebrou” o Estado. O senador provou que não é responsável e que deixou dinheiro em caixa e que as obras das estradas feitas pelo sucessor foram projetos licitados em sua gestão. Tião desqualificou a afirmação de Zé:

“Que conversa que o Estado tinha dinheiro em caixa. O Estado não tinha condições de tomar dinheiro emprestado. O que Ricardo fez foi muito duro no primeiro ano de governo, principalmente quando disse não a muita coisa”, comentou.

Não faltou nem mesmo criticas ao ex-aliado e senador Cássio Cunha Lima (PSDB). “Se Ricardo tivesse atrasado salários, ele (Cássio) estava lavando a alma” e lembrou de fatos do passado: “Acabou-se o tempo em que fornecedores se acorrentavam na Suplan para receber dinheiro…”.

“[…] O país está numa situação difícil, esse governo não quer passar calote em ninguém; ele (Ricardo) pode ser chato, mas não passa calote em ninguém”, concluiu.

Tião Gomes esquenta as baterias para quando retornar aos trabalhos, depois de um período de licença para tratamento de saúde.