Ricardo, o Barbosa, tornou-se um incomodo para base aliada

Sabe-se agora que o governador Ricardo Coutinho ficou tiririca com o deputado Ricardo, o Barbosa, depois que se intitulou próximo líder do “blocão” de partidos da base aliada do governo socialista, conforme noticiado aqui. Pelo acordo do ano passado, RB deveria ocupar o posto, mas não cumpriu a orientação de apoiar a criação do TC dos Municípios e perdeu a confiança.

O Palácio da Redenção reconhece o incomodo e já começou uma articulação para a escolha de outro nome, ou a permanência do atual líder do grupo, Buba Germano. “Eu não sou problema, até porque não morro de amores por cargos”, disse. Testa-se se Ricardo Barbosa vai sobreviver a uma rejeição de parlamentares que não aceitam ser liderado por ele, a exemplo de Estela Bezerra, Frei Anastácio e Jeová Campos.

Isto pode ter causado um constrangimento ao governo. E mais: um incômodo que não estava nos planos da articulação política da gestão socialista, que corre sério risco de começar o período legislativo convivendo com uma crise que poderia ter sido evitada, antes de ser consumada.