Rômulo dá sinais em busca da reaproximação

Num instante da propalada insegurança nas ruas de Campina Grande, motivos de um discurso forte do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) da tribuna do Senado na semana passada, o deputado Rômulo Gouveia (PSD), até que prove em contrário aliado do tucano, disse que a situação está “sob controle”. Gouveia discorda das palavras de CCL, a quem pediu para “descer” do palanque das eleições passadas.

Para Rômulo, a crise é reflexa da conjuntura internacional e nacional. “A presidente Dilma assumiu o compromisso de modificar a Constituição Federal para que a União pudesse dar suporte aos estados”, destacou. A postura do parlamentar mostra que ele está totalmente dissociado do líder do PSDB no Senado e até aonde se sabe aliado do tucano.

Agindo assim, Rômulo mostra que está se reaproximando de Ricardo Coutinho (PSB), talvez mais de quando era vice-governador durante o primeiro mandato do socialista. Copiou inclusive algo que Cássio costuma a proclamar: “O que não pode existir é o rami-rami político…”.

“[…] Ou transformar o momento de violência em palanque eleitoral. Temos que descer do palanque, nos unir… A Paraíba precisa de união, conclamamos toda a classe política em função do combate à segurança”, afirmou.

Recados para todos os lados. Até mostra a independência política na Paraíba.