Hugo Motta desconfia da própria sombra

Desconfiado da própria sombra, Hugo Motta (PMDB) – deputado paraibano presidente da CPI da Petrobras – está cercado de cuidados para evitar surpresas desagradáveis com o trabalho de investigação parlamentar sobre o maior escândalo de corrupção que se tem conhecimento no país.

Ele mandou que fossem instaladas câmaras de segurança, também proibiu a entrada de equipamentos eletrônicos na sala-cofre onde são mantidos documentos e arquivos digitais sigilosos do que já foi apurado até o presente momento.

Todos esses cuidados ocorrem após reclamações informais de funcionários da Petrobras sobre vazamento de informações das atas de gravações de reuniões da estatal enviadas aos deputados.

Ao justificar a medida, Hugo Motta adiantou que sua decisão tem o objetivo de mostrar que a CPI está “diligente” em relação a proteção dos arquivos, destacando, ainda, que: “Fiz para evitar que dados sejam vazados”.

Esta certo o deputado, pois é preciso sim desconfiar da própria sombra. Seguro morreu de velho. (DP)