No PMDB, acordo na política é coisa pra Candinha

Que o senador José Maranhão – presidente estadual do PMDB – não tolera o deputado Gervásio Maia Filho todo mundo já sabe. Não é de agora. Vem desde algum tempo e começou quando da crise para a renovação do diretório peemedebista em São Bento. Porém, em não cumprir um acordo firmado internamente para tornar GMF presidente da legenda na capital, é coisa de quem não gosta de verdade e só é possível a convivência porque não tem outro jeito.

Para o dirigente do pemedebê estadual “não tem essa de acordo” para ungir o deputado Gervásio a categoria de presidente do partido em João Pessoa. Maranhão quer mesmo a permanência do deputado federal Manoel Júnior à frente da legenda no principal colégio eleitoral do Estado.

Sabe que se entregar a Gervásio o PMDB poderá cair no colo do governador Ricardo Coutinho (PSB) nas eleições municipais de João Pessoa no próximo ano. Por isso, JM prefere Manoel Júnior que já está em campanha, ainda que nos bastidores da política pessoense.

A explicação para opção do alto comando peemedebista é que a capital faz parte do projeto de fortalecimento partidário em 2016. Neste sentido, vem a justificativa de JM:

– O PMDB trabalha para eleger prefeito em todos os municípios da Paraíba. A capital não é diferente.

Como diferente não deverá ser a opinião do presidente estadual na hora de definir a candidatura do partido a Prefeitura de João Pessoa, em que Gervásio Maia Filho vai ter que abaixar a cabeça e dizer: “Amém!”.