O grito de independência de Adriano Galdino

Coberto de razão em suas declarações, o presidente Adriano Galdino (PSB) subiu à tribuna do poder que dirige para um contundente discurso, tendo proclamado o seguinte: “Pra nós só chegam às migalhas”. Disse ao se referir a pouca atenção do governo federal a Paraíba. Então, Adriano resolveu dar o troco na mesma proporção a consideração dispensada ao Estado.

Falou para servir como caixa de ressonância e sua fala chegar ao Planalto em tom de resignação, sem levar em consideração que o governador Ricardo Coutinho, expressão maior da legenda socialista paraibana; está de “namoro” firme com a presidente da República. Adriano exige, acima de tudo, um tratamento igualitário à Paraíba. “Só queremos isso”, destacou.

Adriano expôs seu ponto de vista e culpa também a classe política pelo fato da Paraíba está sempre no rol dos estados “esquecidos”, destacando que “é preciso descer do palanque, pois a culpa também é nossa porque estamos sempre olhando para o retrovisor…”.

“[…] Afinal de contas, se já somos fracos politicamente, desunidos somos mais fracos ainda”, acrescentou.

Para dar mais brilho ao seu discurso, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba disse que a União tem uma dívida histórica com o Nordeste, em especial à Paraíba, reiterando que “só chegam às migalhas”, uma verdade mais do que cristalina.

“Não queremos ser tratados diferentes, porque não somos diferentes, queremos o mesmo tratamento dado a estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná”, concluiu.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.