Governador destemido vai manter tática do ‘vigia’

Destemido, mas vivendo um dilema, o governador Ricardo Coutinho (PSB) não sabe se nomeia ou não nomes indicados pelo PMDB para ocupar as vagas no primeiro e segundo escalões do seu segundo governo. A dúvida é: como fazê-lo se passou os quase quatro anos de sua gestão criticando os peemedebistas.

Ocorreu quando ainda mantinha uma parceria com o tucano Cássio Cunha Lima. Mas RC está disposto a usar a tática que deu certo no começo do seu primeiro governo: anuncia a nomeação, mas ao mesmo tempo escolhe um “vigia” como secretário Executivo, que é quem manda na Secretaria.

O ex-senador Efraim Morais, presidente do DEM da Paraíba, foi nomeado secretário de Infraestrutura, mas tinha um “vigia” 24 horas no seu calcanhar, o petista Carlos Alberto, que Ricardo nomeou como homem de sua confiança. E deu certo.

Desconfiado até a sombra, o governador promete repetir o que está dando certo.