Atraso na divulgação da lista preocupa auxiliares antigos

Os atuais auxiliares do Palácio da Redenção vão passar à noite de Natal sem ter a certeza de que permanecerão nos respectivos cargos, um suspense que o governador Ricardo Coutinho (PSB) pretende manter até antes da posse do RC 2. Os parceiros do governo “socialista” acham a espera um verdadeiro massacre ter que esperar, podendo de uma hora para outra receberam bilhete “vermelho”.

Essa situação se adéqua aos ocupantes de cargos do segundo escalão, das autarquias de forma especial. É que os partidos aliados, principalmente os de primeiro momento, temem perder espaços para o PMDB e PT, legendas que se alinharam a candidatura vitoriosa do governador.

A avaliação feita é que há um pensamento voltado para atender os pleitos dos partidos de segundo instante. O DEM já sofreu esse revés, perdendo a Secretaria de Infraestrutura no plano de reforma administrativa anunciada pelo governo no começo da semana.

O governador Ricardo deixou claro, em entrevista, que não tem emprego para todo mundo no seu segundo governo. Ou seja, restringiu a participação dos parceiros na gestão. A preocupação é que muitos dos atuais auxiliares percam o emprego, ou seja rebaixado a uma simples função comissionada.

É muito estranha que o governador não tenha anunciado um único nome, abrindo espaços para especulações, a exemplo da indicação da deputada Estilizabel Bezerra para Casa Civil, do superintendente do Detran, Rodrigo Carvalho, para a Segurança Pública no lugar de Cláudio Lima; Sales Gaudência para a Educação e outros.

Faz-se o suspense para baixar o fogo dos aliados ávidos pelo emprego. Agora, quem ajuda a eleger merece permanecer.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.