Bloco político está sendo formado para neutralizar o PT

Pelo cenário que estão construindo PSB, PV, PPS e SD eles formarão um bloco para as futuras eleições, a municipal de 2016 e estadual de 2018. Ou seja, um projeto totalmente dissociado do PT. Os entendimentos estão acontecendo no plano nacional, mas nos estados já existe uma movimentação que mostra claramente o interesse desses partidos de caminharem juntos.

Na Paraíba, observou-se no final de semana uma sinalização de que aqui também  já estão havendo conversas. O deputado Buba Germano (PSB-foto), recém eleito, andou criticando ao presidente estadual do PPS, o vice-prefeito Nonato Bandeira. “O PPS errou quando rompeu com o governador Ricardo Coutinho”. Neste sentido, antecipou que sua esposa e ainda deputada Gilma Germano permanecerá com sua filiação na legenda comandada por Bandeira.

O prognóstico de que PSB e PT não devem seguir juntos está se confirmando. O novo bloco deverá apresentar candidato a prefeito em João Pessoa e Campina Grande, os dois principais colégios eleitorais do Estado. Aqui, há uma sinalização para o nome da deputada recém eleita Estelizabel Bezerra, filiada aos “socialistas”, testada na campanha de 2012.

Os petistas estão confiantes na manutenção da aliança com o PSB, construída a partir das eleições passadas que reelegeu Ricardo Coutinho para o governo da Paraíba. A julgar pelo que vem ocorrendo de cima para baixo, é por demais importante que o prefeito Luciano Cartaxo (PT) comece a colocar em prática o plano “B” e não deixar para última hora a estratégia que lhe garanta a chance de reeleição.

Em política é assim, entendendo que surpresa existe e precisa ser combatida de forma que não seja surpreendido.