Em meio a carreata, Vital rechaça Cruz Vermelha

Apoiado pelo clamor das ruas, o candidato Vital do Rêgo Filho (PMDB) disse neste domingo (21) que, se eleito, vai cancelar o contrato com a Cruz Vermelha, entidade do Rio Grande do Sul envolvida com diversos escândalos. Vital realizou uma grande carreata pelas ruas de Campina Grande.

Em plena comemoração do seu aniversário, Vital lembrou o apoio da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula e o povo, “meu melhor aliado, também estão apoiando o nosso Plano de Estado”, disse o senador e candidato peemedebista.

Durante a carreata, Vital estava acompanhado do ex-governador José Maranhão, favorito a vencer a eleição para o Senado; do candidato a deputado federal Veneziano Vital (PMDB) e diversos candidatos do partido a disputa proporcionar de outubro.

“Falta de médicos, repasses e equipamentos em diversas unidades hospitalares têm mantido a saúde pública numa situação caótica”, disse Vital para justificar sua tese de romper o contrato com a Cruz Vermelha de araque, caso venha ser eleito.

Os peemedebistas lembraram que para a manutenção do contrato de terceirização da organização social Cruz Vermelha, que administra o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, o governador assinou decreto para suplementação no valor de R$ 14,392 milhões, também publicado no Diário Oficial da quarta-feira (17), dos quais mais de R$ 9 milhões vão direto para a organização social que administra o Trauma da capital.

Desta forma, o chefe do executivo prejudicou 22 unidades hospitalares, que terão que ceder os recursos para conter a ânsia de gastos da Cruz Vermelha. Entre as unidades prejudicadas estão o Hospital Infantil Arlinda Marques e o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.


Descubra mais sobre Marcone Ferreira

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.