ASSEMBLEIA ESTUDA PROCESSAR Sales Dantas civil e criminalmente

Depende ainda do conteúdo da gravação, mas se a instituição Assembleia Legislativa tiver sido citada no malfeito clandestino do ex-secretário do governo “socialista”, Sales Dantas, o autor da farsa será acionado na Justiça civil e criminalmente. Foi o que admitiu agora a pouco, em conversa com o signatário do blog, o procurador Jurídico da Casa de “Epitácio Pessoa”, Abelardo Jurema Neto (foto).

“Nós solicitamos a gravação e vamos ouvir o conteúdo para que possamos nos orientar sobre o encaminhamento da ação, pois se a instituição, de fato, tiver sido atingida aí responsabilizaremos o autor na área civil e criminal”, declarou Abelardo Neto.

Quanto a ação na área eleitoral, o procurador jurídico da Assembleia adiantou de que “neste caso, o jurídico da coligação a qual pertence o deputado-presidente (Assembleia), Ricardo Marcelo, é quem deve estar cuidando”, observou.

Mas a ação somente será definida depois de ouvida a gravação, que poderá ser apenas do presidente Ricardo Coutinho, cujo nome foi citado pelo ex-secretário Sales Dantas no vídeo exibido pelo PSB;, pela mesa diretora ou, ainda, por todos os 36  parlamentares integrantes do colegiado do Poder Legislativo do Estado.

O ex-secretário do governo estadual, Sales Dantas, montou uma farsa de compra de votos numa conversa gravada, sem autorização da Justiça; com o prefeito Cícero Francisco, do PSB, partido do governador reeleitoral Ricardo Coutinho, que aderiu ao candidato Cássio Cunha Lima (PSDB).

Pegou em bomba.