PPS DECIDE NÃO ROMPER, MAS coloca único cargo à disposição

Não somos adesistas, nem caímos de pára-quedas”. A observação foi feita pela direção do PPS de João Pessoa, reagindo a demissão do agora então secretário de Infraestrutura, Ronaldo Guerra, ocorrido no final de semana. O partido se reuniu na manhã desta terça (25), inclusive com a presença do vice-prefeito Nonato Bandeira, presidente estadual da legenda, deliberando sobre seis assuntos.

O que foi discutido e aprovado foi divulgado através de uma nota, cujo teor você ler abaixo:

1– O PPS foi um aliado de primeira hora. Não somos adesistas, nem caímos de pára-quedas na gestão. Fizemos uma aliança programática, baseada em diversas propostas e abraçamos a candidatura quando ela ainda patinava com apenas 6 por cento em todas as pesquisas. A força dessa aliança, liderada pelo PT e outras legendas, também teve o apoio decisivo do nosso eterno prefeito Luciano Agra. Vencemos todas as adversidades e recebemos o apoio popular que nos conduziu até o comando do Executivo pessoense.

2– Temos a exata compreensão de que no regime presidencialista é o chefe do Executivo que toma as decisões, que nomeia e demite, mas que também exerce o poder com a colaboração das forças aliadas e com o corpo técnico escolhido pelo administrador.

3– O PPS fez indicação para contribuir com a gestão. E o companheiro Ronaldo Guerra fez um grande trabalho, reconhecido pela própria comunidade como um dos auxiliares mais dinâmicos da PMJP. A marca de seu trabalho, juntamente com a equipe da Seinfra, está registrada nas principais ações nesses 15 meses da administração.

4– Com a demissão injustificável de Ronaldo Guerra, decidimos colocar à disposição do senhor Prefeito o outro cargo que indicamos, no caso o secretário adjunto da Transparência, o companheiro Ronald Lins. Esses foram os dois únicos cargos indicados pelo partido na PMJP.

5– Da mesma forma que deixamos o senhor Prefeito à vontade em relação ao PPS, também ficamos à vontade em relação à atual administração, reiterando a autonomia da bancada na Câmara Municipal, onde elegemos três vereadores.

6– Não vamos cobrar nenhum cargo do senhor Prefeito, até porque não faz parte da história do PPS qualquer tipo de barganha política. A única coisa que vamos continuar cobrando – e lembrando- de forma respeitosa, são os compromissos programáticos, a exemplo do Hospital da Mulher, da padronização das calçadas, do Centro de Inclusão para pessoas com deficiência, do bolsa atleta incluindo os paralímpicos, da biblioteca, o museu e o teatro municipais. E, por questão de justiça, queremos agradecer ao senhor prefeito a implantação do Passe Livre estudantil, mais uma proposta do PPS assumida durante a campanha eleitoral.

João Pessoa, 25 de março de 2014

 Bruno Farias – Presidente

Marco Antônio Queiroga – 1º Vice-presidente

Djanilson da Fonseca – 2º Vice-presidente

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.