Deputado defende fim de salário dos políticos, mas não renúncia o seu

Em tempos de pré-campanha política sempre surgem propostas eleitoreiras. A mais recente foi jogada ao meio-fio pela assessoria do deputado estadual Márcio Roberto (PMDB), cujo parlamentar, veja você, defendeu que “as eleições seriam mais justas se os políticos não recebessem salário”.

Porém, o parlamentar não renuncia o seu contracheque. Márcio defendeu a tese durante entrevista concedida no programa “Debate Sem Censura”, da Rádio Sanhauá. Ele adiantou que sua proposta deveria ser inserida no bojo da reforma política em discussão no Congresso Nacional.

Sugeriu, ainda, na lista de mudanças o fim da eleição por legenda e também que políticos não recebessem salário. Nem o autor da proposta e nem político algum renunciará o contracheque no final do mês.

Portanto, o que faz alguém defender o fim do salário para políticos é a aproximação da campanha eleitoral de 2014.

Por que o deputado Márcio Roberto não dar esse bom exemplo?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.