A estrela dos socialistas é Marina, que de “socialista” não tem nada

Candidato a uma vaga de deputado federal nas eleições paraibanas de 2014, Evaldo Costa, que é secretário de Comunicação de Pernambuco, pode estar equivocado em sua analise quando expõe seu ponto de vista acerca da união da ex-presidenciável Marina Silva com o presidenciável Eduardo Campos.

Conta o auxiliar do governo pernambucano que não haverá dificuldade da aliança construída desde sábado (5) entre o PSB e à Rede de Solidariedade. Costa falou em transferência de voto de Marina para o governador Eduardo Campos.

O equívoco começa aí. Os 20 milhões de votos dados a Marina nas eleições de 2010 não deverão subir para Eduardo Campos. Afinal, não se vota no candidato a vice-presidente da República. Da última vez que isso aconteceu foi em 1960. Pra falar a verdade, os vices perderam importância.

O secretário e pré-candidato a deputado federal Evaldo Costa meteu a boca no trombone: “Eduardo é a coisa mais parecida com Marina no Brasil e mais parecido com aquilo que o povo brasileiro pediu nas ruas em junho passado”, disse ele ao portal Paraíba.com.

Nem tanto. Marina nunca foi socialista, como também não é o governador Eduardo Campos, o preferido dos grandes grupos empresariais do Brasil entre os pré-candidatos a presidente da República.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.