Maranhão cobra de Ricardo o Estado de Emergência na segurança pública

Presidente estadual do PMDB, o ex-governador José Maranhão jogou no meio-fio nesta quarta (18) uma tese que os peemedebistas deverão esgrimir na campanha à sucessão governamental de 2014. Alias, não apenas uma, mas preferencialmente duas e ambas envolvendo a segurança pública do Estado.

A primeira: “O governador (Ricardo Coutinho) durante debate comigo na campanha passada disse que ia resolver o problema da segurança pública em 30 dias. Resolveu? Piorou, inclusive com a volta dos assaltos a bancos na Paraíba”.

A segunda: “A PEC-300 dos policiais militares, que eu sancionei no meu governo e ele (Ricardo Coutinho) revogou e tinha sim recurso para atender as reivindicações dos policiais; só não paguei logo após a sanção porque estávamos no período eleitoral, mas deixei recursos alocados pra isso; o governo não deu sequência”.

Talvez, seja um dos principais temas da campanha do próximo ano na Paraíba, uma bandeira de debate do pré-candidato a governador Veneziano Vital do Rêgo. Disse que o aparelho de segurança do Estado deixa muito a desejar. O ex-governador complementou: “Esta tudo errado”.

A reação de Maranhão veio 24 horas depois de o atual governador ter declarado que o seu governo foi o que mais investiu em segurança público, “algo comparado a gestão de Burity”. O presidente do PMDB lembrou que no debate da campanha de 2010, Ricardo chegou a informar que “se não acabasse com a violência em 30 dias de governo, decretaria estado de Emergência.

“Estamos aguardando o estado de Emergência, pois a Paraíba está situada entre as três mais violentas do país”, ressaltou o ex-governador José Maranhão.

No momento em que o ex-governador era entrevistado no programa Rede Verdade, da TV Arapuan, registrava-se um assalto a banco no Retão de Manaíra.

jm

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.