Operação de “guerra” é montada para investigar carga de Petcoke

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), através da Promotoria do Meio Ambiente de Cabedelo está acompanhando e fiscalizando o transbordo, movimentação e armazenamento de carga de coque de petróleo, ou Petcoke (Petroleum coke), como é mais conhecido, um tipo de combustível derivado do carvão, no Porto do município. O objetivo das ações é para verificar se a carga tem causado poluição ambiental na área portuária de Cabedelo.

As fiscalizações são realizadas em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Superintendência Administrativa do Meio Ambiente (Sudema) e Secretaria Municipal do Meio Ambiente e tiveram início nessa segunda-feira (19) e continuam até a próxima quinta-feira (22). Segundo o promotor de Justiça, Valerio Bronzeado, a formação desse grupo de trabalho permitirá a elaboração de um laudo atualizado, visando o aperfeiçoamento ambiental do manuseio do Petecoke em Cabedelo.

Por causa da grande contestação dos moradores de Cabedelo, o grupo de trabalho foi montado para verificar se este tipo de carga vem causando algum dano ambiental. Esta carga está há aproximadamente 15 anos no Porto e com a construção de novas cimenteiras, é possível que seja duplicado o material a ser comercializado, assim como a sua movimentação, que já é durante o dia e a noite, atualmente são cerca de 30 caminhões que transitam pelo porto transportando o material”, disse Bronzeado.

O promotor ainda informou que durante a vistoria de ontem foi constatado, até então, que o produto gera pouquíssima poeira e o seu armazenamento está feito de forma correta. De acordo com o resultado parcial, o Petcoke está dentro dos conformes. Mas, as fiscalizações só se encerram na próxima quinta-feira, só então, o laudo técnico será concluído.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.