Veneziano tem razão quando aborda o visível desgaste do governo

Sem mandato, o que lhe custa algumas dificuldades para se comunicar com os futuros eleitores, o pré-candidato a governador Veneziano Vital (PMDB) pode-se dizer um político predestinado a estar sempre no topo das conquistas eleitorais quando é chamado a concorrer.

Foi assim quando se elegeu duas vezes prefeito da segunda maior cidade da Paraíba, Campina Grande, berço do início de sua trajetória política. Na mesma ocasião, ele teve como adversário o ex-deputado federal, ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia, Rômulo Gouveia, hoje vice-governador do Estado.

Mais uma vez, surge em condições reais de disputa porque deverá enfrentar um governo com a imagem desgastada por causa do alto índice de violência, sem, no entanto, ter uma política para o embate eleitoral. Nesta sexta (5), Veneziano subiu no banco da praça. Foi o entrevistado do programa Rádio Verdade, comandado por Nilvan Ferreira.

O foco poderia ser a violência. Porém, o assunto acabou sendo as supostas adesões de prefeitos do PMDB anunciado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). “Os prefeitos que o governo anunciou é conversa fiada, pois todos vieram a mim comunicar que iam para o encontro em busca de convênios…”.

“… Cheguei a sugerir a eles que pousassem para fotografias com o governador (…). Mas tenham certeza que no momento certo vão estar todos conosco, apoiando o nosso nome”.

Veneziano confirmou entendimentos com o deputado Ricardo Marcelo (PEN), presidente da Assembleia; e o ex-prefeito Luciano Agra (sem partido). “Estamos num entrosamento perfeito”, destacou.

Chegou a defender a candidatura própria do PT. “Sem problemas, desde que a oposição se mantenha unida no segundo turno”. Disse que se não passar para a etapa seguinte da eleição, “estou pronto para apoiar o nome de oposição”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.