Dunga segue com a sua ‘via crucis’; juiz anula posse

Que sina essa de Carlos Dunga! Poucas horas depois de assumir o mandato parlamentar veio uma decisão do juiz Márcio Accioly (foto), do Tribunal Regional Eleitoral, para colocar “gosto ruim” no ato desta sexta (15).
A Justiça Eleitoral que determinou a posse de Dunga, foi a mesma que ordenou a sua saída. A ordem desfaz tudo o que ocorreu nesta manhã de hoje. O juiz Accioly, acatando o mandado de segurança alega que o ato é nulo de pleno direito.
As razões: a Assembleia teria desrespeitado todos os prazos e procedimentos estabelecidos pela resolução 23218, do Tribunal Superior Eleitoral.
A resolução a que se referiu o juiz Accioly estabelece prazos de contestação após a contagem, a proclamação, a diplomação e a posse.
O deputado Genival Matias (PT do B), que nunca subiu a tribunal da Assembleia para fazer um pronunciamento, ganhou uma sobrevida.
“Só saio preso”- Ainda a pouco, Carlos Dunga disse que “estou cumprindo uma decisão da ministra Carmen Lúcia, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, referendada pelo Tribunal Regional Eleitoral, que formou a comissão eleitoral para retotalizar os votos…”.
“… Então, estou cumprindo um ato jurídico perfeito e só saio da Assembleia se for tirado por policias. Já conversei com o presidente Ricardo Marcelo e disse que só saio da Assembléia preso”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.