Diretor do Butantan garante que prazo de 28 dias para 2ª dose pode ser até 45

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, disse que não há prejuízo para o imunizado da primeira dose se passar o prazo de 28 dias da segunda. Garantiu que não há perda na imunização se passar.

“Se for em 30 dias, em 45, não importa. Não há prejuízo. O que não pode e não ter a segunda dose”, comentou.

O esclarecimento decorre da falta de dose para seguir adiante com a aplicação, em decorrência da paralisação das vacinas CoronaVac.

Segundo o diretor do instituto, insumos para a produção do imunizante, que vêm da farmacêutica chinesa Sinovac, atrasaram, mas não vão comprometer a fabricação das doses acertadas como o Ministério da Saúde.

Como se sabe, a Paraíba segue como o quarto Estado que mais aplicou vacinas contra à Covid, como João Pessoa contribuindo com essa condição.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.