Santiago comemora o ‘fico’, mas pode não ser por muito tempo

Neste primeiro momento, o deputado federal Wilson Santiago escapou da medida cautelar imposta pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, que determinou o afastamento do parlamentar paraibano das suas funções na Câmara.

Wilson, como se sabe, é acusado de receber R$ 1,2 milhão de propina de obras superfaturadas de abastecimento de água em Uiraúna (Paraíba), município que atua politicamente.

Ele foi afastado, portanto, por crime de suposta prática de corrupção e organização criminosa (ORCRIM). Para escapar do afastamento houve, primeiramente, a manobra de mudança do relator.

Com isso, um novo relatório foi confeccionado com a defesa da suspensão da medida cautelar do Supremo, recomendando um procedimento administrativo-disciplinar por quebra de decoro parlamentar.

Os partidos que orientaram pela volta ao mandato de Santiago foram o PT, PTB, PL, Solidariedade, PP, PMDB, Avante e PDT. Já pela manutenção do afastamento defenderam o PSL, Cidadania, PSOL e Novo.

Já o PSC, PSD, Podemos, PV e PSB liberaram a bancada. Para que houvesse o afastamento eram necessários 257 votos, mas o placar de 233 votos a 170 acabou beneficiando o deputado integrante da bancada paraibana na Câmara Federal.

4 comments

  1. tenha vergonha deputado, o senhor nos representa, então faça o favor de se explicar, não havendo explicação, tenha hombridade e entregue o mandato, pois só assim os paraibanos saberá que o senhor foi merecedor dos nossos votos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.