Ney Suassuna seguiu com mesmas praticas da época das sanguessugas

Sem mandato, pela graça e honra dos paraibanos, o ex-senador Ney Suassuna aparece entre os denunciados pelo Ministério Público com pagamentos feitos pela empresa PAPATUDO, que somados chegam a R$ 2,4 milhões, conforme o MPPB.

Suassuna também recebia uma mesada de R$ 40 mil, “salário” pago pelo delator Daniel Gomes. Foi o ex-senador que apresentou o chefão da Cruz Vermelha, a gaúcha, ao ex-governador Ricardo Coutinho.

Justo por ter viabilizado os contratos das empresas de Daniel Gomes na Paraíba é que Ney Suassuna passou uma gorda mesada, além do aluguem de 10 apartamentos de propriedade do citado denunciado. Uma espécie de “mina” e ganhar dinheiro sem fazer muita força.

“Portanto, restou comprovada a participação e o envolvimento decisivo do denunciado NEY SUASSUNA na ORCRIM, apresentando-se como personagem relevante na sua instalação no Estado da Paraíba, sendo beneficiado financeiramente por sua conduta. Outrossim, não descure que este réu potencializou a ação danosa do grupo denunciado contra o patrimônio público do Estado, fazendo a indicação de diversos agentes econômicos para o usinamento de propinas”.

Mostra que o ex-senador não esqueceu da época das sanguessugas. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.