Autorizou a compra de R$ 157 mil em livros e não entregou a alunos

Ordenador de despesas durante seu período como secretário estadual de Educação, Aléssio Trindade, viu hoje sua situação se complicar ainda mais em plena efervescência da Operação Calvário.

Aléssio não chegou a ser preso durante a 5ª fase da ação do Gaeco, mas foi alvo de busca e apreensão autorizada pela Justiça. Pois bem. Nesta quinta-feira (31), o TCE lhe imputou um débito de R$ 157 mil.

Tem tudo a ver com a compra de 1.627 livros como material pedagógico do “Aprova Brasil” e não entregue aos estudantes de ensino fundamental na rede pública do Estado.

Decisão como essa faz complicar ainda mais à vida do ex-secretário.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.