PMDB vai duelar em 2018, se depender de Hugo Motta

O político está sempre surpreendendo, inclusive não sabe bem o que quer. No final de semana, o deputado federal Hugo Motta (PMDB), o companheiro de muitas lutas do presidiário Eduardo Cunha, pousou ao lado do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) em Pombal. Fez “juras de amor” etc. e tal.

Em outra parte da Paraíba, defendeu a candidatura própria do seu partido ao Governo do Estado, citando o senador Zé Maranhão como provável nome da legenda à sucessão do governador Ricardo Coutinho (PSB). Se não estiver pensando o contrário, disse que Raimundo Lira é candidato à reeleição.

O que Hugo mais deseja mesmo é que o seu partido seguisse aliado do governista PSB, que o seu pai deputado Nabor Wanderley dá apoio na Assembleia Legislativa. O parlamentar federal deverá encontrar dificuldades em sua reeleição por razões relacionados a malfeitos de familiares e dele próprio no alinhamento a Eduardo Cunha, seu padrinho.