Retaliação: deputado-suplente deve retornar pra reserva

Os governista tem uma missão: acabar com a discussão sobre os codificados, quase nove mil pessoas que recebem do Governo do Estado através do CPF. Vai lá na boca do caixa com documento e saca o dinheiro, sem que haja nenhum critério.

Os salários vão desde R$ 1,5 mil a R$ 23 mil por mês. A palavra de ordem é não deixar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) ser criada, muito menos instalada.

Quem não cumprir com a estratégia advinda do Palácio da Redenção sofrerá qualquer tipo de retaliação. Os deputados da base estão preocupados com a repercussão negativa. O governo, como retaliação, admite colocar pra fora da lista nomes que supostamente tenham sido indicados pelos parlamentares.

Em seu blog, o jornalista Anderson Soares notícia que o deputado-suplente Arthur Cunha Lima (PRTB-foto) seria a primeira vítima desse processo de retaliação. “O deputado Lindolfo Pires (titular da cadeira) já recebeu intimação de Ricardo (Coutinho) pra retornar urgentemente”, informa.

Sabe por que? Arthur, o deputado-suplente, é filho do conselheiro Arthur Cunha Lima, ex-presidente do Tribunal de Contas. Só por isso.