Ex-presidente expõe magoas e volta a fazer ameaças

Aconteceu mais cedo que se esperava e o ex-presidente Adriano Galdino (PSB) não esperou muito tempo, declarando que foi “tentado” diversas vezes a quebrar o compromisso com o seu sucessor Gervásio Maia, também socialista, quando ainda não havia assumido o comando do legislativo.

Galdino subiu a tribunal na manhã desta quarta-feira (5) e, caso tivesse mais tempo, teria aberto o jogo. Disse que está cumprindo a “quarentena” da Semana Santa, mas prometeu voltar ao palco para desabafar e contar o que ocorreu nos dois últimos meses do seu mandato a frente da presidência da Assembleia.

“Vou falar um pouco da minha Via Crucis desses dois primeiros meses que estou fora da presidência”, disse e chegou a fazer ameaças ao garantir que “vou dar nome aos bois”. É um suspense que poderá não dizer muita coisa, até porque o que Adriano deseja mesmo é um afago que ele já teve do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Como se vê, o jardim dos girassóis vive neste momento em ebulição. Porém, as ameaças parecem não meterem muito medo a quem o ex-presidente do legislativo estadual pretende atingir, até porque contra a sua gestão deve haver problemas ainda mais sérios. Sorte é que o sucessor é um aliado.

Fez lamentações de toda espécie, principalmente quando afirmou que “tenho um caminhão de defeitos, mas dentre as minhas poucas virtudes está cumprir com a palavra empenhada e não mentir”, concluiu.