Na Paraíba, 5º banco explode este ano; governo inerte

É só acompanhar o noticiário para concluir que cinco bancos foram pro ar este ano, apenas 26 dias de 2017. Isso sem contar com as tentativas. Talvez, o fato de o Estado não está nem aí para o problema os bandidos chegam a Paraíba para uma festa com direito a foguetões, tiros e grampos na estrada para estourar pneus de carros particulares, já que nem os da polícia são vistos mais no interior do Estado.

Nesta quinta-feira (26), mais uma agência do Banco do Brasil foi explodida por bandidos fortemente armados, que plantaram o terror no município de Lagoa Seca, próximo a Campina Grande. O deputado Tovar Correia Lima (PSDB) veio à boca do palco: “A situação aqui (Paraíba) na área de segurança pública já ultrapassa o limite do aceitável”.

E complementou: “Não é possível que o governador Ricardo Coutinho (PSB) não veja que a Paraíba virou terra sem lei. Não podemos admitir que ele feche os olhos para esse problema que vem crescendo nos últimos anos”.

Adiante: “O Governo anuncia que reequipou a polícia com novos veículos quando, na verdade, são melhorias pontuais com o objetivo apenas de divulgação. A realidade é que em diversas cidades a situação e as condições de trabalho dos policiais são lamentáveis. O Governo precisa investir em segurança”.

Em seguida, o deputado denunciou o Governo Ricardo Coutinho de retirar recursos do Orçamento da Segurança Pública para o exercício financeiro de 2017, comparando com deste ano. Apresentou dados: Em 2016,  o previsto para a Segurança era de R$ 442.538.647 e para o próximo ano é de R$ 434.426.824, ou seja, uma redução de R$ 8.111.823.

“Não se pode reduzir os índices de violência de um Estado retirando dinheiro para investimentos. É lamentável que o governador tenha esse pensamento e queira enganar a sociedade entregando pouco mais de meia dúzia de viaturas”.

Falta o clamor público ante a inércia do Estado.

banco