Renato Martins volta a atacar os socialistas. Coisa séria!

O “talibã” Renato Martins (PSB), ex-vereador, voltou com dois e um fervendo. Parece que desta vez disposto a reafirma o esquema de corrupção denunciado pós-período eleitoral de outubro passado, quando jogou no asfalto que concorrentes socialistas foram eleitos por causa de supostos suporte dado pela secretária Livania Farias (Administração) e a deputada Estela Bezerra. Depois vieram as ameaças de processo e uma retratação estilo meia-boca.

Não aguentou muito tempo. Bastou chegar o ano de 2017, sem mandato para o ex-vereador Renato Martins mostra mais uma vez suas garras, seu sentimento de “talibã” por não suportar a demissão de sua companheira Cecília Ielpo do Amaral, colocada pelo governador Ricardo Coutinho para trabalhar na Chefia de Gabinete da Secretaria de Educação do Estado. Foi demitida dias atrás.

Novamente, Martins veio à boca do palco: “Num órgão estratégico da sociedade onde a roubalheira sem freio e despudorada de acordo absurdos reinam. E precisam parar. Os honesto são punidos. Numa lógica invertida. Todas as estâncias (não seriam instâncias?) da federação e a população precisam ficar atentas às inversões de valores. A verdade precisa se sobrepor… Adelante.”

O recado parece ter endereço certo e de forma bastante direta se levado em consideração o que o ex-vereador Renato Martins pronunciou após sofrer a derrota nas urnas, ainda mais vendo os algozes partidários tomarem sua vaga, que ele achava certa por causa das juras de amor dos seus padrinhos de outrora.

Nos áudios vazados na Internet em outubro passado, Martins denunciou a “corrupção de Livânia”, acusada de ter bancado a campanha de Tanilson Soares (PSB), que vem a ser o filho do deputado estadual Edmilson Soares (PEN). “Tudo somado”, segundo ele, “ao roubo que Tibério (Limeira) fez, ele e Estela (Bezerra), eles que saquearam o dinheiro do Estado ao longo de quatro anos…”

“… Inclusive com Krol, como uso de muita tecnologia, através da venda de laboratório para a Educação”, denunciou.

Disse mais: “E vendendo aparelhos de nota fiscal pra órgãos comerciais. Estabelecimentos comerciais foram obrigados a trocar o aparelho de R$ 500 por R$ 3 mil, comprando de empresas ligadas à Kroll, com o intermédio da deputada Estela Bezerra, deputada corrupta, e, claro, uma deputada corrupta fez um vereador corrupto pra poder ter silêncio na Câmara (Municipal)”.

E ainda: “Tanilson, recebendo dinheiro de Livânia, que é a corrupta-mor chefe da corrupção dentro do Estado. E ai você tem, correndo por fora, Tanilson que tem um dinheiro próprio, com Léo Bezerra que saqueou a Saúde, saqueou o Detran com as Casas Lotéricas”.

Falta a Renato Martins confessar o que realmente aconteceu durante o período eleitoral do ano passado, até para que possa tirar-lhe o peso da consciência.