Feliz 2017!

Estamos próximos daquele momento invisível, o que separa um ano do outro. Neste momento, ergue-se os copos, o lábio é premido contra o outro e os corpos se encontram num abraço. Dentro de poucas horas, ou minutos, já estaremos em 2017 e não deixaremos de continuar carregando as nossas aflições pessoais.

Os dramas serão os mesmos, seja no âmbito privado ou público. Tanto faz ser um ou outro. Salve-se quem puder. Não deveria assim, mas não tem para onde correr. Inocentes culpados. Culpados inocentes. Espertos superados pelos mais espertos. Cofres situados. Gestores ineptos. Contribuintes indefesos.

É assim… Vida que segue. Deseja-se um 2017 com menos violência. Por isso, o que as pessoas mais desejam hoje é paz, saúde e amor. A ordem não é necessariamente essa, mas é o que todos nós desejamos neste imaginário que separa o velho do pseudonovo.

Seguiremos em frente. Solte os seus fogos e Feliz 2017.