Governo opera para deixar Cavalcanti ocupando vaga

Se não houver nenhum erro de percurso até meados de dezembro, quando o titular do governo estadual deverá se licenciar para um período de férias, a vice-governador Lígia Feliciano (PDT) já está de sobreaviso e não há quem convença a não assumir o posto. “Nem viagem ela tem programada para o fim do ano”, disse um interlocutor ao blog.

Há uma operação para deixar o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Marcos Cavalcanti. No entanto, não deverá vingar porque a vice-governador Lígia Feliciano está decidida a assumir, até para continuar na experiência de comandar o governo, porque, como se sabe, ela está na vez para quando abril de 2018 chegar.

Na linha sucessória, caso Lígia não assuma, ainda tem o presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB), antes de chegar ao desembargador Marcos Cavalcanti. Parada mais dura ainda será convencer Galdino.