Morre um homem de bem: Carlos Roberto de Oliveira

O signatário do blog avistou-se com o publicitário Carlos Roberto de Oliveira no mês passado. Encontro de corredor, fortuito, no Sistema Arapuan. Disse-me que teria uma conversa com o empresário João Gregório, presidente da empresa de comunicação citado neste parágrafo. Era o mesmo de mais de 30 anos que o conhecia.

Conversamos sobre política local e amenidades. Tivemos uma relação mais próxima numa época em que Marcondes Brito era superintendente do extinto “O Norte”. Aos sábado, eram sagrados o jogo de botão na casa de Marcondes no Altiplano Cabo Branco, onde hoje reside o senador José Maranhão.

As peladas aos domingos eram vício saudável. Não era mais o mesmo por causa da idade. No entanto, sabia distribuir à bola como ninguém. Claro que a habilidade de então deu lugar ao jogador mais clássico, de receber e passar à bola imediatamente para o colega, mais jovem, dar sequência a jogada.

Na manhã deste domingo (30), Carlos Roberto, 74, morreu. Deu-se no Hospital da Unimed, de infarto, depois de fazer o que mais gostava: jogar futebol. Marqueteiro de mão cheia, não aguentou até a eleição de 2018.Pena. Em meio a tantos homens, foi-se um homem de bem.

Ex-secretário de Comunicação, exerceu a função durante o governo do professor Tarcísio de Miranda Burity. Fez com honestidade de poucos.