Lembra-se: Zé Régis saiu da disputa e colocou a mulher

A campanha eleitoral deste ano está próximo do fim. Restam poucos dias para o encerramento antes do encontro sagrado do eleitor com a urna, dia 2 de outubro. Em Cabedelo, a disputa política ganhou ares familiares. José Régis, então prefeito, não pôde concorrer por razões que só à justiça conhece e a população daquele município.

Cederá a vaga à mulher, Eneida Régis (PDT), unidos não apenas pelo sagrado laço do matrimônio, mas também pelos sacrossantos vínculos do patrimônio. “Zé” não é o candidato porque, como se sabe, foi alçado pelo Lei da Ficha Limpa, aquela que uma condenação colegiada de qualquer tribunal deixa o político, pelo menos, oito anos distante das eleições.

Chegou a sangrar em praça pública. Quando viu não ter outra alternativa, então optou por lançar o nome da mulher, pois submetido ao veredicto da legislação bateu em retirada do processo eleitoral. Converteu-se tudo em família, como se vê.