Cartaxo mostra que está pronto para ‘ganhar debates’

Prefeito do principal colégio eleitoral da Paraíba, Luciano Cartaxo (PSD) está pronto para o embate das eleições deste ano. Parece ter se preparado para enfrentar o então aliado da campanha de 2014, governador Ricardo Coutinho, representada pela pré-candidata à sucessão municipal de João Pessoa, Cida Ramos. Cartaxo mostrou um desempenho acima da média na entrevista concedida ao programa “Frente a Frente”, exibido na noite passada na TV Arapuan.

O tom com que se apresenta está a altura dos opositores, não se intimidando um só instante com as provações. É tanto que chamou o então aliado governador para o “ringue”, quando declarou que “pelo histórico de apresentar candidaturas de ‘secretários’ para a disputa eleitoral de João Pessoa”, o prefeito lembrou de Estela Bezerra (deputada), em 2012; João Azevedo, em 2015 e, agora, Cida Ramos, em 2016.

Adiante, afirmou: “João Pessoa não aceita ser governada por alguém que fique no governo e bote um secretário para administrar”.

Sobre a concorrente Cida Ramos, o prefeito da capital rebateu com classe a denúncia feita pela socialista de cobrança ilegal à construtoras na gestão municipal. E sem nenhuma dificuldade, Cartaxo respondeu:

“Quem faz uma acusação desse tipo não tem que só acusar, porque senão cai no descrédito e no interesse eleitoreiro. A gestão municipal é considerada nota 9 pelo Ministério Público Federal…”.

“[…] É também uma das mais transparentes do Brasil, segundo o Tribunal de Contas da União. Foi considerada pelo Tribunal de Contas do Estado a mais transparente da Paraíba…”.

“[…] Quando alguém diz que quer ser candidata a prefeita tem que começar a estudar, tem que se preparar, tem que começar a conhecer o que é a gestão para não sair dizendo coisa desse tipo”.

Aproveitou para cobrar parcerias do governo do Estado por mais intervenções em benefício da população. Segundo o prefeito, o Executivo estadual poderia fazer mais pela cidade. “O Estado tem que fazer a sua parte assim como o Governo Federal. Da nossa parte sempre houve a disposição do diálogo, do entendimento (…). Sempre coloquei João Pessoa em um patamar elevado. Não misturo a disputa eleitoral e a política com a gestão. Isso não faz bem a sociedade”.

E concluiu afirmando:

“Lamento que em determinado momento o governador, às vezes, se comporta como líder da oposição. Uma gestão estadual que faz oposição ao uma gestão municipal. Isso não constrói”.