Sanguessuga não desgruda do deputado Benjamim

Com uma enorme diversidade morfológica, as sanguessugas existem mais de 600 espécies diferentes, entre elas as terrestres, marinhas e de água dose. São parasitas que se alimentam de sangue. Pois bem. O deputado federal Benjamim Maranhão (SD), da bancada paraibana, é um dos congressistas envolvidas com elas (sanguessugas, batizadas numa das operações da Polícia Federal) por causa da troca de emendas ao orçamento destinadas à compra de ambulâncias superfaturadas por propinas pagadas pela empresa Planan, apontada como gestora do esquema em 2004.

À época, causou uma grande repercussão e que não foi levado adiante porque não havia um Sérgio Moro – juiz federal que coordena a operação Lava Jato – para investigar e enquadrar os envolvidos. Benjamim segue respondendo processo neste escândalo das ambulâncias. Sorte: como tem foro privilegiado, o processo está sob a guarda do Supremo Tribunal Federal (STF), que já o convocou para esclarecimentos nos próximos dias.

Benjamim se diz absolutamente “tranquilo” diante das acusações que responde de corrupção passiva, fraude em licitação e formação de quadrilha. A vida não está fácil para o parlamentar, como é possível observar. “Eu sou o principal interessado que esse processo seja finalizado”, disse o óbvio, pois ninguém consegue dormir com um barulho desse.

E continuo com sua aparente tranquilidade: O outro (processo) de conteúdo idêntico que correu na Justiça Federal no Estado da Paraíba, serei inocentado, pois todas as acusações são falsas”. Quem garante? Difícil, muito complicada essa situação do deputado paraibano. O suplente é que está na maior torcida pela condenação de Benjamim e, consequentemente, a cassação do mandato dele.