Pesquisa mostra polarização entre Cartaxo e Cida Ramos

No curtíssimo intervalo de pouco mais de 20 dias, a pré-candidata socialista Cida Ramos agigantou-se em cima de 11,3% das intenções de voto para a sucessão municipal de João Pessoa. Um salto significativo, informa o Instituto Opinião, encomendada pelo Sistema Arapuan de Comunicação, que divulgou nesta segunda-feira (13) uma pesquisa para as eleições deste ano.

Virtual candidato a reeleição, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) lidera com 44% e seria reconduzido no primeiro turno. O cenário, no entanto, mostra que já existe a polarização entre as pré-candidaturas do governo municipal e a apoiada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). Em que pese o bom desempenho, a cidade não está diante de uma “onda Cida”.

Observa-se o tom de espanto neste cenário, principalmente dos pré-candidatos Manoel Júnior (PMDB) e Wilson Filho (PTB), ambos deputados federais. Na pesquisa Opinião/Arapuan, eles aparecem com 4,6% e 3,5%, respectivamente. O petista Charliton Machado tem 1,3% e Vitor Hugo (Psol), 04%. Brancos e nulos chegam a 19,4%, indecisos ou não sabem, 15,5%.

Ou seja, os pré-candidatos as eleições de João Pessoa podem melhorar ainda mais o desempenho nas futuras pesquisas do Sistema Arapuan. O documento foi registrado sob o número 276/2016, ouviu 800 pessoas, foi realizada entre os dias 7 e 8 deste mês (junho) e a margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos.

Rejeição

Há um critério que os pré-candidatos acompanham com a mesma atenção das intenções de voto: rejeição. Pois bem, quem lidera neste quesito a pesquisa Opinião/Arapuan é o peemedebista Manoel Júnior, 12,3%; seguido pelo prefeito Luciano Cartaxo, 8,6%; Cida Ramos, 8%, Wilson Filho, 7,6%; Charliton Machado, 4,3% e Vitor Hugo, 3,1%.

Avaliação

A pesquisa encomendada pelo Sistema Arapuan mostrou a avaliação dos governos de Luciano Cartaxo e do governador Ricardo Coutinho. 76% dos entrevistados disseram que aprovam o governo do socialista e 15,1% desaprovam. Em relação a gestão de Cartaxo, 64% aprovam e 25,9% desaprovam.