Ministro afirma absoluta convicção da inocência

Até que provem em contrário, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), paraibano Vital do Rêgo, é inocente. Sob ele, apura-se acusação de envolvimento de fraude na Operação Lava Jato, uma suspeita que passará a ser investigada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por causa do foro privilegiado do ministro e ex-senador da República.

Por meio de nota, o ministro do TCU disse que “tem absoluta convicção de seus atos”. A acusação contra Vital surgiu durante a delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, ex-líder do governo da presidente Dilma Rousseff. Recém cassado, Delcídio acusou Vital de participar de um esquema para impedir convocações de empreiteiros na CPI da Petrobras na época que presidia a Comissão Parlamentar Mista em 2014.

A assessoria do ministro Vital do Rêgo informou: “Ele já prestou os devidos esclarecimentos por meio de nota divulgada no último dia 11”, tendo, agora, reiterado “a confiança na Justiça e tem absoluta convicção da lisura de seus atos”. Vital passará a condição de investigado.