MJR no relatório de Janot por cantar no ‘niver’ de Cunha

Pare e preste atenção porque o deputado federal Manoel Júnior, candidato à sucessão municipal de João Pessoa pelo PMDB, teve seu nome incluído no relatório que o procurador Geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido de investigação contra o peemedebista. “Mané” cometeu o pecado de cantar no aniversário do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Pior do o relatório de Janot é o noticiário do Jornal Nacional a citar o nome do peemedebista em suas edições, também jornais e portais da batizada grande mídia. Manoel Júnior, veja você, foi incluído na lista dos investigados da Operação Lava Jato junto com o ex-presidente Lula, a presidente Dilma, ministros-auxiliares do atual governo e outros parlamentares.

Manoel Júnior, para a curiosidade de muitos, aparece muito pouco no escrito do procurador Rodrigo Janot, mas pode estar pagando um preço alto por ter cantarolado no aniversário de Eduardo Cunha, fato esse ocorrido em 2013 num dos restaurantes de Brasília.

Por isso, o relatório acusa o parlamentar da bancada paraibana de pertencer a tropa de choque de Cunha. Pode ser esse o único pegado do também candidato à sucessão municipal de João Pessoa.