Maranhão afirma que não aceita ‘ministério vagabundo’

Empurrado para ocupar um ministério no provável governo de Michel Temer, caso a presidente Dilma Rousseff venha a ser afastada do cargo, o senador José Maranhão – que é presidente do PMDB da Paraíba – já deu a resposta: “não aceito”. E sua decisão faz sentido, já que a função não lhe trará qualquer repercussão política. Ele trabalha mesmo é pela permanência na presidência da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do parlamento nacional.

Nos bastidores, a informação é que trabalha-se o nome de Maranhão para um ministério do futuro governo para abrir vaga e ungir a suplente Nilda Gondim (PMDB) a titularidade do mandato, ocupando um espaço deixado pelo filho e ex-senador Vital do Rêgo Filho, atualmente ministro do Tribunal de Contas da União (TCU).

A amigos, o senador e presidente dos peemedebistas disse não ter o menor interesse, tendo, inclusive comunicado ao presidente do Senado, Renan Callheiros, não ter a pretensão neste sentido: “Não quero porque posso ser mais útil como senador. E eu tenho um xodó pelo PMDB da Paraíba”, respondeu.

Disse que no governo petista havia sido convidado para assumir um ministério, afirmando que “me foi oferecido um ministério vagabundo, o de Turismo. Eu não aceitei. Isso quando estava sem mandato e vou aceitar agora que estou com mandato?”