CPI chega ao velório sem que tenha sido instalada

O dia de ontem não foi para a oposição na Câmara Municipal de João Pessoa. Para alguns, a CPI da Lagoa que serviria de bandeira para as eleições deste ano, veio ao mundo natimorta. Para outros, morreu nesta segunda-feira (25) mesmo. Para todos, encontrou o caminho da cova, principalmente depois que a Caixa Econômica, órgão do governo federal có-responsável pela obra do Parque Sólon de Lucena, atestou que está tudo “absolutamente” legal.

Portanto, o sepultamente da Comissão Parlamentar de Inquérito proposta pela oposição está sepultada. O velório começou ontem e o vereador-líder Marco Antônio (PHS-foto) deu inicio ao velório. Coube aos vereadores Bira Pereira (PSD) e Marmuth Cavalcanti (PSD) encomendar a missa de corpo presente.

Neste sentido, a oposição perdeu o discurso no entendimento do vereador Marmuthe e tem motivo: a chancela da regularidade das obras da Lagoa pela Caixa. “A oposição, barulhenta e desinformada, quis fazer de um relatório técnico da CGU um instrumento de disputa política, para tentar tirar vantagem em pleno ano eleitoral…”.

” …Mas o documento produzido pelos engenheiros da Caixa Econômica, comprovando ponto a ponto, a seriedade da execução da obra, desmoraliza esse tipo de manobra”, disse.

A oposição deixa claro a falta de compromisso com a obra história da Lagoa, conforme Marmuthe: “o que aconteceu hoje (ontem) aqui na Câmara mostra bem como alguns parlamentares têm atuando para impedir a entrega da Lagoa. Por que todo esse interesse? Quem ganha com isso?”, indagou o parlamentar.

A estratégia dos vereadores contrários ao governo municipal, cinco deles ex-integrantes da bancada do governista PSD. Usaram supostas irregularidades nas obras da Lagoa para criar peças publicitárias para exibição no guia eleitoral das eleições deste ano. Alguma dúvida?